Dicas essenciais para todo método de estudo:


Concentração:

 

         Ficar concentrado significa viver plenamente o presente, agora, aqui e não pensar na coisa seguinte a ser feita. Ser capaz de concentrar-se significa ser capaz se ficar só consigo mesmo, o que é difícil, mas não impossível. Tente ficar só consigo mesmo. No início você vai sentir-se inquieto, nervoso ou mesmo experimentar uma considerável ansiedade. Continue tentando. Pode ser que muitos pensamentos tomem conta de sua mente: planos para o resto do dia, dificuldades no trabalho ou estudo, namorado ou namorada, família, dinheiro etc.
Tente ficar concentrado em tudo que estiver fazendo, em ouvir música, em ler este texto, em falar com uma pessoa, em ver uma paisagem etc. a atividade do momento presente deve ser a única coisa que importa. 
          Praticando, pacientemente, você vai desenvolvendo a sua capacidade de concentração. Se estiver estudando, leia com o objetivo de entender, reter e lembrar. Recite para você mesmo os pontos principais do texto e depois escreva-os. Volte ao texto, confira os erros e as omissões. Procedendo assim, você aumentará a sua capacidade de compreender, de sintetizar e de fixar a matéria. Mas não se esqueça: pratique a concentração em tudo que você fizer na vida.


Paciência:

 

          Todos nós sabemos que, para aprender qualquer coisa, a paciência é fundamental. Quem anda atrás de resultados rápidos tem sempre grandes dificuldades para aprender. A paciência é prática tão difícil quanto a disciplina e a concentração. Estabelecer regras disciplinares e segui-las será, inicialmente, muito difícil e aí a paciência desempenha um papel fundamental. A prática da concentração parecerá impossível nas primeiras tentativas. Se não se sabe que tudo tem o seu, se querem forçar as coisas, então, na verdade, nunca se conseguirá sucesso em ficar concentrado ou em fazer as coisas de modo disciplinado. 

          Para se ter uma ideia do que a paciência é capaz, basta que se observe uma criança aprendendo a andar. Ela cai, torna a cair, cai outra vez, e, no entanto, continua tentando, melhorando, até que um dia anda sem cair. Imagine o que poderia o adulto realizar se tivesse a paciência da criança e a sua concentração nos objetivos que lhe são de importância!

 


Autodisciplina:

 

           Se perguntarmos a uma criança de doze anos a sua opinião a respeito da disciplina, ela, provavelmente, responderá; “coisa muito chata”. Já um adulto poderá referir-se à disciplina como um sistema rígido e autoritário: levantar cedo, trabalhar duro e não se comprazer em futilidades. É exatamente aí que reside um dos aspectos mais infelizes do nosso conceito ocidental de disciplina: o de supor que a sua prática é algo doloroso e desagradável
          O Oriente reconheceu há muito tempo que aquilo que é bom para o homem, para seu corpo e sua alma, deve também ser agradável, ainda que no princípio se torne necessário superar certas resistências naturais.

          O importante é que as regras disciplinares não sejam impostas no exterior e sim que sejam a expressão da vontade própria e que seja sentida como agradável. Uma pessoa pode, por exemplo, estabelecer para si mesma algumas regras simples com tempos e movimentos para ler, ouvir música, estudar, meditar, passear, praticar esportes, conversar, ver televisão etc. Faça um horário de estudo e não se afaste dele.

 


Outras dicas de estudo importantes:

 

 

  • Dormir bem!
  • Prática de esportes – Procure fazer regularmente qualquer tipo de exercício físico que goste. Além de lhe ajudar a extravasar, fará muito bem a saúde.
  • Alimentação – Para que você consiga se concentrar de maneira efetiva precisa ter uma alimentação saudável para que seu corpo e mente estejam bem. Evite estudar logo após as refeições, pois seu corpo estará investindo esforços na digestão e, portanto, você terá uma maior dificuldade em se concentrar e provavelmente terá sono. Espere de trinta minutos à uma hora antes de iniciar os estudos.
  • Estudar comendo – Hora de estudar não é hora de comer. Você precisa que seu corpo direcione energia para seu cérebro e não para barriga!
  • Ambiente de estudo – Procure um ambiente bem iluminado, arejado, silencioso e confortável para estudar, mas nada de estudar na cama, pois ficará com sono e o estudo não renderá. Caso julgue não ter um bom ambiente de estudo em casa, pois muitas coisas lhe distraem, procure estudar no colégio, em uma biblioteca, na faculdade etc.
  • Horário de estudo – O melhor horário para começar a estudar é muito particular de cada pessoa. Alguns conseguem se concentrar melhor pela manhã, outros pela noite… além de depender dos afazeres de cada um. Mas novamente, procure não enganar a si mesmo. O horário determinado deve ser o melhor para que o estudo renda ao máximo.
  • Tempo de estudo – O tempo de estudo depende entre outras coisas da idade, objetivo e capacidade de concentração de cada aluno. Para um aluno de ensino médio que não apresente grandes dificuldades em nenhuma disciplina, duas horas diárias de estudo já são um bom começo. Para um aluno que almeja um concurso ou vestibular concorrido, o tempo diário de estudo pode ser superior a seis horas, fora o tempo em sala de aula, e para estes alunos em especial, tentem seguir o lema “aula dada é aula estudada”. Caso fique cansado antes do termino do estudo faça um intervalo de quinze a trinta minutos e depois retome, do contrário perderá a concentração.
  • Estudando em grupo – Em relação ao estudo em grupo tem que existir um grande comprometimento de todos em relação ao estudo, caso contrário o grupo fará de tudo, menos estudar. O ideal é que os alunos se juntem após cada um ter estudado separadamente e então, em grupo, são resolvidos os exercícios e um tira dúvida dos outros. Para aqueles que estão muito apertados em termos de tempo para estudar, por exemplo, para uma prova, uma divisão de trabalho interessante para um estudo em grupo é: cada um estuda uma parte separada da matéria e faz um resumo, depois em grupo, um explica para o resto o que estudou e todos fazem exercícios juntos. Mas novamente, se não houver comprometimento de todos em relação ao estudo nada disso funcionará.
  • Resumos – Após o termino do estudo de um determinado conteúdo faça um resumo (mas completo) com os principais pontos estudados, incluindo conceitos importantes, fórmulas definições etc. Isso lhe ajudará a organizar as ideias, adquirindo dessa forma confiança em relação ao estudado bem como na memorização do conteúdo. Quando começar a resolver os exercícios utilize o seu resumo. Com o passar de alguns exercícios notará que não necessitará mais dele.
  • Planejamento – Não deixe para estudar na última hora. Faça um plano de estudo com dias, horários, disciplinas e tempo de estudo para cada disciplina. Procure priorizar as disciplinas nas quais apresenta maior dificuldade. Não seja nem muito severo nem muito relaxado ao estabelecer o seu plano de estudo. Caso faça um plano de estudo muito rigoroso não conseguirá cumpri-lo e ficará frustrado. No caso contrário não atingirá seus objetivos.

 


 

Como resolver exercícios:


  • Ler o enunciado de forma adequada – Muitos alunos tentam adivinhar o que está no enunciado e assim já saem fazendo o exercício de qualquer jeito. Não preciso dizer que isso é completamente errado. Deve ser feita uma leitura preliminar do exercício de modo a identificar do que se trata e só na segunda leitura você deverá fazer uma interpretação adequada retirando as informações importantes do enunciado para então começar a resolvê-lo de fato.
  • Síndrome da calculadora – Não raramente os alunos têm o péssimo habito de usar a calculadora quando estão resolvendo exercícios em seus estudos. Então faço a seguinte pergunta: você vai poder usar calculadora na prova? Caso não, então também não a utilize nos exercícios que fizer fora da prova. E se você acha que só está utilizando calculadora para ganhar tempo em seu estudo, pois já sabe efetuar aquelas contas muito bem, desafio-lhe a começar a fazer os exercícios sem a calculadora. Você notará que muitas das contas você na verdade não sabe fazer ou então leva muito tempo para efetuá-las.
  • Síndrome do gabarito – Em seu estudo, após resolver um exercício, é importante que verifique no gabarito se sua resposta está correta. No entanto, você só deverá olhar o resultado final após ter completado o exercício e não antes. Se já souber o resultado antes de resolver o exercício, certamente isso te influenciará na resolução.

 


 

Concursos e vestibulares:

 

          Apesar do enfoque aqui ser para concursos e vestibulares, alunos de ensino fundamental e médio também podem se beneficiar de algumas dicas. Para obter sucesso não é só necessário conhecimento teórico e prático, mas também, estratégia. A preparação em termos estratégicos para um concurso ou vestibular começa muito antes do dia da prova e deverão ser observados os seguintes itens:

  • Provas anteriores – É extremamente recomendado que você resolva provas anteriores com o mesmo conteúdo. A probabilidade de ocorrerem questões muito parecidas é grande.
  • Resta muito pouco tempo para prova, e agora? Foque nos exercícios e através do que está sendo solicitado nos exercícios estude a teoria.
  • Local e horário da prova – Estude antes como chegar ao local da prova e quanto tempo levará, e assim procure sair bem antes no dia da prova, pois imprevistos acontecem.
  • Planeje por onde começará a fazer a prova – No caso de um concurso ou vestibular você terá em média três minutos ou menos para resolver cada questão e, portanto, um planejamento de tempo é fundamental. Comece resolvendo a prova pela matéria que julgar ser a mais cansativa (português, por exemplo), pois se deixá-la por último já estará muito cansado e não conseguirá se concentrar. Não gaste muito tempo resolvendo uma questão. Questões difíceis terão um alto índice de erro, mas as fáceis você tem obrigação de acertar.
  • Poucos dias antes da prova – Essa é a hora para revisar o que aprendeu e não para se matar de estudar conteúdos não estudados. Uma revisão é importante no sentido de deixar tudo o que foi estudado “fresco”. Não fazer esta revisão poderá lhe custar varias questões cujos conteúdos você havia estudado.
  • Alimentação antes da prova – Não invente de comer um monte de coisas saudáveis como frutas que você não está acostumado a comer só porque é o dia da sua prova. Você deverá sim fazer uma refeição não muito pesada antes da prova, no entanto, comer coisas que não está acostumado poderá lhe render uma dor de barriga logo neste dia.
  • Dia de prova não é dia de piquenique – Leve no dia da prova apenas água e uma barra de cereal, por exemplo. Você estará lá para fazer uma prova e não para comer.
  • Você já terminou a prova e sobrou tempo – Se isso aconteceu parabéns. Terminar a prova com sobra de tempo não é nada fácil. Assim, aproveite o tempo que sobrou para revisar questões nas quais eventualmente teve mais dúvidas e só depois entregue a prova.



 

Expert Aulas: Elevando sua capacidade.